Logo da República do Brasil - Justiça Federal da 5ª Região
Link do Tribunal Regional Federal da 5ª Região
Imagem do Portal da Justiça Federal
Portal da Justiça Federal da 5ª Região TRF5 Sustentável Selo Justiça em Números

TRF5 lamenta o falecimento do ministro do STJ José Delgado

09/09/2021 às 11:51:00

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 lamenta profundamente o falecimento, na noite de ontem (8/09), do ministro aposentado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) José Augusto Delgado, que foi desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5, entre os anos de 1989 e 1995.  

Em razão do falecimento do desembargador emérito, o presidente do TRF5, desembargador federal Edilson Nobre, decretou, por meio da Portaria nº 324/2021, luto oficial na Corte e nas Seções Judiciárias da 5ª Região por três dias, período no qual as bandeiras do Tribunal ficarão hasteadas a meio mastro.

Para Edilson Nobre, o ministro José Augusto Delgado foi um exemplo modelar de juiz e doutrinador. “A ele devo os fundamentos de minha formação jurídica. O seu exemplo há que persistir entre os magistrados mais jovens”. 

O corregedor do TRF5, desembargador federal Élio Siqueira, foi assessor do ministro Delgado, quando integrante desta Corte, entre 1990 e 1993. “Sempre vi nele uma referência da magistratura nordestina e brasileira, que inspirou e inspira muitos de nós a cumprir a missão de ser mensageiro da paz entre os homens, como costumava dizer. Fica o exemplo do mestre dedicado, do magistrado equilibrado, do pai de família afetuoso e do amigo sincero”, declarou.  

O ministro aposentado deixa a esposa, Maria José Costa Delgado, servidora aposentada do TRF5, e três filhos: Magnus Augusto Costa Delgado, juiz federal da SJRN, Liane Maria Delgado Cadete e Ângelo Augusto Costa Delgado, além de vários netos, aos quais o TRF5 expressa condolências e solidariedade. 

Perfil - José Delgado nasceu no município de São José do Campestre/RN, em 7 de junho de 1938, filho de João Batista Delgado e de Neuza Barbosa Delgado. Formou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em 1964. Ingressou na Justiça Federal em 1976, como juiz federal da Seção Judiciária do Rio Grande (SJRN), à qual empresta o nome ao edifício-sede.  

Foi promovido para o TRF5 em 1989, onde exerceu a Presidência da Corte, nos anos de 1992 e 1993. Também ocupou os cargos de vice-presidente, corregedor, presidente de Turma e de comissões, proferindo quase 15 mil decisões.

Em dezembro de 1995, foi nomeado ministro do STJ, Corte da qual se aposentou em 2008.


Autor: Divisão de Comunicação Social do TRF5

 Imprimir 

Top